Qua - 20/06
27º 16º 11:52
Guaíra - SP

Alagamento na Avenida José Flores assusta moradores da Cohab II

A água atingiu os faróis dos veículos e chegou a entrar em algumas residências da área

Cidade
Guaíra, 22 de Fevereiro de 2018 - 09h57

Fotos clicadas pela população mostram a situação da Avenida neste último domingo, 18 (foto reprodução).

A tempestade que ocorreu no último domingo (18) em Guaíra deixou diversos pontos da cidade alagados e sem qualquer condição de passagem de motoristas e pedestres. A Avenida José Flores foi um desses locais que, pela primeira vez, alagou tanto que ficou impossível que carros transitassem pelo bairro Cohab II.

A água atingiu os faróis dos veículos e chegou a entrar em algumas residências da área. A comunidade da região confirmou que nunca havia presenciado a avenida em tal situação. “Pela primeira vez ficamos impedidos de entrar ou sair da Cohab II. Era muita água”, afirma um morador.

Os locais questionaram sobre o escoamento de águas pluviais do novo bairro, localizado ao lado da José Flores e se isso não era a consequência da enxurrada.

O Jornal O Guaíra entrou em contato com o Departamento de Esgoto e Água para esclarecer o que ocorreu tanto na Cohab II quanto em outras ruas e avenidas da cidade.

“O DEAGUA, em análise aos vídeos e fotos, explica que devido ao grande volume de chuvas em um curto espaço de tempo provocou a sobrecarga do sistema. Com relação ao empreendimento do Residencial Antonio Manoel da Silva o DEAGUA em análise ao projeto informa que o sentido de escoamento das águas pluviais está no sentido inverso da avenida, ou seja, não haverá a contribuição do volume de água para o canal da Avenida José Flores”, alega a autarquia.

Cabe ressaltar que, alguns locais da cidade, como por exemplo, a região central, sofre há décadas com as chuvas fortes. “A equipe técnica do DEAGUA e do Município tem se empenhado no pleito de recursos financeiros junto ao Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) entre outros, assim como, os demais 645 municípios estão no Estado de São Paulo, lembrando que são 5570 municípios que pleiteiam recursos financeiros em órgãos como a Fundação Nacional de Saúde – FUNASA ou nos ministérios, ou seja, a demanda se apresenta maior que a oferta de recurso”, afirma.

O departamento informa que durante o ano de 2017 foi realizada a limpeza de todas as bocas de lobo, sendo que, a última limpeza geral ocorreu no mês de dezembro, ressaltando também que todas as solicitações recebidas pelos números 0800 941 1007 ou 3330-1500, além de outros meio de comunicação, são atendidas pontualmente.

Segundo a instituição, o sistema de drenagem urbana é formado pelas guias, sarjetas e passagem de água que realizam o escoamento superficial e quando esses componentes não suportam a vazão pluvial, essas águas são captadas pelas bocas de lobo e galerias. “Nesse contexto, o DEAGUA realizou em 2017 uma licitação no montante de R$ 232.557,60 para execução e reforma de guias, sarjetas e passagens de água (sarjetão), bem como, em bocas de leão e limpeza de dispositivos de drenagem, ressaltando que, a obras continuam a serem executadas em 2018.”


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos