Sex - 19/10
29º 22º 18:25
Guaíra - SP

Câmara aprova reajuste de 13% aos servidores públicos em sessão extraordinária

Geral
Guaíra, 17 de Março de 2016 - 09h15

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Guaíra, Rodrigo Borghetti, esse reajuste foi conquistado graças ao manifesto dos trabalhadores em frente ao Paço Municipal, na última sexta (11)

Após a sessão ordinária da Câmara Municipal, na noite desta terça-feira (15), os vereadores realizaram uma sessão extraordinária para colocar em votação o Projeto de Lei do Executivo que reajusta os vencimentos do quadro funcional da prefeitura, Câmara e DEAGUA em 13% para este ano.

O aumento foi confirmado após reunião entre o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guaíra e o prefeito Sérgio de Mello, nesta semana, confirmado em 13% após reivindicação do Sindserv. Para a o auxílio alimentação, o reajuste foi de 10,89% passando dos atuais R$ 387,76 para R$ 430,00.

Os parlamentares, em primeira votação, aprovaram por unanimidade. Amanhã será realizada a segunda votação do projeto na Casa de Leis.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores, Rodrigo Borghetti, esse reajuste foi conquistado graças ao esforço dos trabalhadores. “A conquista não foi conforme a expectativa da classe, já que estávamos esperando que o prefeito Sérgio de Mello cumprisse a promessa do 5,5 % que estava faltando. Mas ainda conseguimos conquistar o ganho real, o que tem que ser muito comemorado porque é esse ganho que irá salvar o servidor durante o mês de abril até fevereiro do ano que vem, pois sem o ganho real a inflação é mera recomposição que vai defasando ao longo do tempo. Com este aumento conseguiremos um pouco mais de fôlego para aguentar até o próximo reajuste”, diz.

Borghetti destacou a grande importância da mobilização dos servidores em frente ao Paço Municipal no final da tarde da última sexta-feira (11). “Esse reajuste foi uma conquista nossa e só foi possível porque vários servidores compareceram na manifestação em frente à prefeitura, porque, até então, o prefeito estava em silêncio e o protesto despertou na administração o dever de chamar o sindicato para negociar. Conseguimos conquistar esse ganho real e esse aumento significativo para a classe”, afirma Rodrigo.

Segundo o sindicato, a proposta do setor era de um reajuste de 5,5% acima da inflação – promessa de Sérgio de Mello – e cesta-básica de R$ 480. Porém, o prefeito fez contraproposta de apenas R$ 12 de aumento no auxílio-alimentação, o que foi negado pelo sindicato. “A proposta da prefeitura foi rechaçada pelo sindicato. Assim, conseguimos um aumento melhor de mais de quarenta reais. Estamos satisfeitos com essa conquista”, conclui Borghetti.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos