Qui - 15/11
30º 21º 08:16
Guaíra - SP

Estudantes de medicina protestam por melhorias na Santa Casa de Barretos

Agora
Guaíra, 12 de outubro de 2016 - 07h52

Os médicos voltaram a suspender as cirurgias eletivas nesta segunda-feira (10). Direção do hospital afirma que busca fazer o melhor em todas as áreas da instituição

Estudantes do curso de medicina fizeram protesto em frente à Santa Casa de Barretos e na porta da prefeitura barretense na tarde desta segunda-feira (10). Eles levaram cartazes pedindo melhorias na gestão e na infraestrutura do hospital.

Laura Rezende, aluna do terceiro ano, falou em nome do grupo, explicando o motivo da manifestação. “Viemos aqui protestar em prol da Santa Casa porque a situação lá dentro está crítica, os médicos se queixam que não recebem há muitos meses. A Santa Casa é hospital de referência para 18 municípios e a saúde dessas pessoas depende do atendimento desta instituição. Por isso estamos protestando, por melhorias na infraestrutura, para os próprios médicos”, disse.

Ela argumentou que os atendimentos estão prejudicados porque alguns médicos, que estariam sem receber, pediram demissão. A estudante alegou que a situação do hospital interfere na aprendizagem dos alunos de medicina. “Alguns médicos pediram demissão, isso consequentemente diminui o número de atendimentos. Os dois últimos anos do curso estão dentro do hospital e o nosso ensino é na Santa Casa. Nós estamos protestando por isso também, mas pela saúde da população acima de qualquer coisa. A situação da Santa Casa interfere sim na nossa aprendizagem, mas estamos pensando também na população que é atendida na Santa Casa”, concluiu.

CORPO CLÍNICO
O diretor clínico da Santa Casa de Barretos, Dr. Lúcio Flávio Fernandes, demonstrou apoio ao protesto dos estudantes e declarou que as cirurgias eletivas foram novamente paralisadas porque os médicos continuam sem receber. “O corpo clínico apoia a manifestação promovida pelos alunos, apesar de não ter sido comunicado previamente. Entendemos que o hospital é de grande importância para o aprendizado da faculdade e por isso a preocupação deles é pertinente”, afirmou.

“Continuamos sem receber desde a primeira manifestação dos médicos, quando paralisamos as cirurgias eletivas em 8 de agosto. Foi pago apenas um mês para ortopedia e um mês para anestesista. Tínhamos suspendido a paralisação, mas voltamos a suspender as cirurgias eletivas a partir desta segunda-feira (10)”, enfatizou.

OUTRO LADO
A Santa Casa se manifestou por meio de nota, informando que busca fazer o melhor em todas as áreas. “A Santa Casa de Misericórdia de Barretos respeita a manifestação realizada hoje (10), pelos acadêmicos da Faculdade de Medicina Dr. Paulo Prata e, sobretudo, o direito que cada um possui de se expressar. Porém, afirma que o Hospital busca fazer o seu melhor em todas as áreas, para atender com qualidade os pacientes, o seu corpo clínico, administrativo, de enfermagem e todos os acadêmicos que usufruem da estrutura física e humana da instituição. A saúde está passando por uma situação difícil em todo o Brasil e pode ter certeza, que a nossa Santa Casa está realizando todos os procedimentos necessários e possíveis, para atender os 18 municípios de sua responsabilidade. A direção do Hospital deixa claro que os acadêmicos não são remunerados e em nenhum momento foi procurada pelo grupo manifestante, mas está à disposição para atender os alunos de Medicina da FACISB”. (Fonte: ODiárioOnline)


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Agora
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos