Seg - 22/10
31º 20º 22:00
Guaíra - SP

Falta de cidadania e respeito: guairenses jogam lixo e entulhos na mata do Taís

Após uma semana de limpeza total da área pela prefeitura, lixo doméstico, de podas de árvores e entulho de construção já foram despejados no local. Prática é exemplo da falta de cidadania, respeito ao meio ambiente e, principalmente, educação

Cidade
Guaíra, 24 de Março de 2018 - 10h07

Fotos mostram área sendo limpa por servidores públicos há uma semana.

 

Postagem na fanpage de O Guaíra gerou elogios e preocupação com o descarte irregular de lixo na mata

A mata do residencial Taís foi vítima, mais uma vez, da irresponsabilidade do ser humano. = Vítima de pessoas que não respeitam nem mesmo o meio ambiente, a porta das casas de terceiros e descartam material irregular em um local que deveria ser um modelo de preservação do meio ambiente e valorização da vida. Se por um lado é um privilégio ter uma mata localizada entre os bairros, por outro lado, a falta de respeito de alguns se torna uma luta constante pela sua preservação.

No último sábado (17), a reportagem dessa folha registrou a ação de servidores da prefeitura, que fizeram uma limpeza nas margens da mata do Taís, já em preparação para a execução do projeto de revitalização do espaço, que prevê construção de calçadas, alambrado e até quiosque. As fotos foram postadas na fanpage do Jornal O Guaíra, no Facebook e geraram muitos comentários positivos, elogios e pessoas já alertando para o descarte irregular de lixo doméstico no local.

A internauta Rosângela Rezende deixou uma mensagem na postagem: “Iniciativas como essa fazem a diferença. No entanto, cabe à população cuidar e conservar daquilo que lhes ‘pertence’. Se há uma coleta de lixo regular na cidade, qual a necessidade de se jogar lixo em locais públicos, ou qualquer outro local que não o apropriado? Não adiantará uma atitude da administração pública se não houver uma verdadeira tomada de consciência dos cidadãos. Nós fazemos primeiro a nossa parte, e bem feita, para depois sim cobrar de outros. Sendo assim, espero que aqueles que estão no entorno desse local limpo o mantenham assim. Se assim o for, o único trabalho da administração pública será o de manter”, comentou.

Entretanto, na manhã de ontem (23), por volta das 9 horas, o repórter do jornal voltou a local para verificar como estava a limpeza e, sem nenhum tipo de surpresa, pois já é comum esta prática, registrou cerca de cinco focos de lixo doméstico, podas de árvores e material de construção já depositados no local. Decepção ou apenas confirmação de que existem pessoas insensatas na cidade e que aqueles que seguem as leis, pagam pelos irresponsáveis.

FALTA CIDADANIA

Não adianta o cidadão cobrar da prefeitura qualidade nos serviços públicos oferecidos à população, se não faz sua parte para manter a cidade limpa e organizada. Assim como o poder público possui seus deveres com a cidade, o munícipe também tem suas responsabilidades. Uma delas é respeitar os espaços públicos, como áreas pertencentes ao coletivo e que devem ser preservadas.

Nos últimos cinco anos, a limpeza pública é o calcanhar de Aquiles da gestão pública. Depois da terceirização deste setor, a insatisfação da população em relação à qualidade deste serviço é negativa, gerando diversas críticas. Mas, por outro lado, algumas pessoas não colaboram com o setor público e ainda contribuem para que a cidade fique suja.

É o motorista que joga o lixo nas vias, o cidadão que joga lixo em terreno baldio, a dona de casa que coloca o lixo doméstico fora do dia de coleta, o carreteiro que descarta entulho em áreas inapropriadas, o comerciante que joga lixo da sua empresa nas entradas da cidade, o morador que descarta seu lixo em calçadas pertencentes ao poder público, enfim, são várias as práticas que são exemplos de falta de cidadania.

Até quando a cidade e os cidadãos de bem vão sofrer por ações irresponsáveis de uma minoria de pessoas? A administração pública informou que não pode aplicar multa se não existir o flagrante da pessoa descartando lixo irregular. Neste caso, o morador consciente deveria se portar como o olho da comunidade, ajudando o poder público a fiscalizar e promovendo denúncias. Há quem defenda que, somente pesando no bolso, que se educa quem pratica estes atos contra a sociedade.

Recentemente, um carreteiro foi filmado despejando entulho no canteiro central da continuidade da avenida José Cavenaghe, no Trevo das Antas. O fato gerou revolta em internautas que assistiram ao vídeo. Ele foi localizado e obrigado a retirar o material que depositou irregularmente em área pública. Neste caso, a ação de fiscalização da comunidade surtiu efeito. Pela lição que ele recebeu, nunca mais vai praticar este ato contra os bons costumes de uma sociedade.

REFORMULAÇÃO CÓDIGO DE POSTURAS

A minuta de um projeto de lei com uma nova regulamentação para o Código de Posturas do Município está em estudo na prefeitura municipal, mas ainda não foi encaminhada para apreciação da Câmara Municipal de Guaíra. O novo texto da lei poderá incluir penalidades e uma postura mais fiscalizatória do poder público em relação a atos praticados por pessoas que não sabem como viver em comunidade.

O Código de Posturas do Município regula as medidas de polícia administrativa, de higiene, ordem pública e funcionamento dos estabelecimentos comerciais, industriais e prestadores de serviço, além do comércio eventual e ambulante, determinando as relações entre o Poder Público e os Munícipes. Refere-se, por exemplo, às relações com a vizinhança, como: horários para o comércio e coleta de lixo; manutenção do espaço público; utilização e uso das áreas públicas, além da estética urbana, sossego público, execução de obras em logradouro público, higiene das habitações e terrenos, entre outros.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos