Qua - 18/07
28º 16º 07:59
Guaíra - SP

Posto de saúde do Guaritá está fechado e somente com previsão de retorno para julho

Geral
Guaíra, 26 de Maio de 2016 - 08h11

Única funcionária do local que fazia triagem, encaminhamentos, agendamento para consultas e acompanhamento de ambulância foi transferida para PSF do Nádia. Prefeitura alega que posto não está fechado, somente sem médico

O descaso com os moradores do São José do Albertópolis cresce com a atual administração. Agora, além dos diversos problemas com fornecimento de energia, estrada, prédios públicos e ambulância sucateada, os residentes do Guaritá estão sem o único posto de saúde da região.

De acordo com os próprios habitantes, a única unidade de atendimento fechou suas portas nesta segunda-feira (23) após a transferência da funcionária para o PSF do Nádia, em Guaíra. “A Luzia sempre nos atendia para o que precisássemos. Ela aferia pressão, marcava consultas, fazia encaminhamentos e agendava as viagens com a ambulância para Guaíra. A médica mesmo só visitava o bairro uma vez por semana. Agora não sabemos como ficará nossa situação. Não sabemos como vamos levar nossos pacientes para a cidade e se tivermos emergência não teremos como ser socorridos”, lamentou um dos moradores.

Porém, a prefeitura negou que o local está fechado e declarou que a médica teve de ir trabalhar em outro município. “A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Guaíra informou [que] após algumas informações infundadas de que o Posto de Saúde localizado no Guaritá seria fechado, esclarece que a Unidade de Saúde do distrito não foi e nem será fechada. O que ocorre é que a médica Drª Luíza Bosi, que era responsável pelo atendimento médico do Bairro Guaritá, deixou o município de Guaíra para trabalhar em Barretos.”

O governo municipal ainda declarou que a secretaria de saúde não conseguiu um médico para substituí-la no Guaritá. “A cobertura da área urbana da médica está sendo realizada pelo Dr. Wellington e Dr. Jorge Massaro, os quais não podem deixar as Unidades de Saúde sob sua responsabilidade para se deslocarem até o Guaritá, porque isso deixaria descoberta às áreas urbanas onde os mesmos atendem.”

De acordo com a prefeitura, os pacientes do Guaritá não deixarão de ser atendidos, porém não explicou como eles serão deslocados do bairro até a Unidade de Saúde da Família “João Bosco Lellis” na cidade, já que a funcionária que agendava o transporte não encontra-se mais em sua função.

Ainda segundo o órgão, a situação é provisória e que já tem uma médica para assumir definitivamente a área do Guaritá. Porém, isto ocorrerá somente em julho.  “Até a contratação da nova profissional a Secretaria de Saúde do município está organizando algumas adequações na estrutura física do Posto Médico do Guaritá e organizando uma equipe com enfermeira, técnica de enfermagem e um médico para atender a população do bairro.”

 

Apesar da prefeitura negar que o local foi fechado, os residentes do Guaritá confirmaram que as portas do posto estão fechadas e não há nenhum atendimento à população.

 

POSICIONAMENTO DOS VEREADORES

O polêmico assunto chegou aos vereadores na noite em que ocorreu a sessão ordinária da Câmara, nesta terça-feira, 24.

Eliana Claudia Alves se mostrou chocada com a notícia e destacou que irá buscar providências com o governo. “Absurdo isso. Lembro que em campanha acompanhei o prefeito e muitos falaram em investimento para o postinho, para as ambulâncias, para enfermeiro padrão e agora fechou! Os moradores estão revoltados e não tem nem aferição de pressão, que é o mínimo que poderiam fazer. Tem muito idoso e não sei o que [a prefeitura] vai fazer, vai ter que tomar uma providência. Quero saber da secretária de saúde os motivos, mas acredito que nada justifica”, ressaltou.

Para o parlamentar José Natal Pereira, o fechamento do posto é um descaso com a população local. “Não quero acreditar que isso seja verdade. O povo do Guaritá já não tem transporte, muitas vezes fica sem energia e agora, se passar mal, vai fazer o quê? Porque de lá para Guaíra é uma hora com essa estrada ruim. E se tiver chuva, como que vem? Vai morrer? A responsabilidade é do prefeito”, observou.

Susete Costa Barini disse que iria procurar a secretária de saúde, Jussara Soler e também o prefeito, já que este fato era “um absurdo”.

Segundo José Reginaldo Moretti, o prefeito perdeu o respeito com a população do São José do Albertópolis. “A comunidade do bairro já é esquecida, se tirar o postinho como eles vão ficar? Essa administração perdeu o respeito quando foi lá conversar com eles e disse que faria tudo, e agora estão querendo tirar. Já tem uma ambulância que está caindo aos pedaços, não sei se arrumaram. Prefeito, não faça isso, permaneça o atendimento e não esqueça daquela comunidade. Na eleição o senhor teve compromisso com aquela população”, lembrou.

O presidente da Câmara, Carlos Nogueira Neto, encerrou a sessão fazendo um pronunciamento na Tribuna Vicente Lacativa. Netinho se mostrou envergonhado com a atitude da prefeitura. “O postinho está fechando sim e levaram a Luzia para o postinho Nádia porque falaram que lá estava faltando funcionário. Que vergonha falar que estava faltando funcionário se eu já passei por lá e tinha cinco ou mais funcionários naquele local, que estavam trabalhando. E se tivesse que tirar alguém, que tire do nosso município e não de lá [Guaritá], que só tem um postinho. Ela [Luzia] faz tudo lá, dá andamento, afere pressão, acompanha a ambulância. Mas que ambulância que tem lá? Sucateada, que quase não chega no nosso município”, encerrou.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos