Ter - 18/09
27º 18º 10:44
Guaíra - SP

Delegado fala sobre o crime de feminicídio em Guaíra

Dr. Rodrigo Ferreira de Souza, Delegado responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher explicou quais procedimentos serão tomados em relação ao acusado Valdelicio

Policial
Guaíra, 30 de agosto de 2018 - 07h31

O Delegado de Polícia Dr. Rodrigo Ferreira de Souza está à frente do caso da jovem Adriele

 

 

 

 

 

 

 

 

O Delegado de Polícia Dr. Rodrigo Ferreira de Souza, responsável pela Delegacia de Defesa da Mulher de Guaíra (DDM), concedeu entrevista ao Jornal O Guaíra na manhã desta quarta-feira (29) e comentou quais os procedimentos serão adotados na apuração dos fatos que levaram à morte da jovem Adriele Freitas de Sena, de 22 anos.

Confira:

Dr. Rodrigo, quais os procedimentos que a Polícia Civil irá adotar em relação ao feminicídio contra a jovem Adriele?

O procedimento, a partir de agora, é manter a vigilância na pessoa acusada do crime, para que ela não empreenda fuga ou tente novamente contra a sua vida, além do trabalho de investigação, como foi a dinâmica dos fatos, eventuais perícias na arma do crime, dentre outras coisas. Juntado toda esta parte probatória, encaminharemos para o Ministério Público para que seja feito o processo.

Neste momento, ele irá responder por feminicídio?

Inicialmente, estamos trabalhando com a hipótese de feminicídio, que é um homicídio praticado contra a mulher. Entretanto, como as investigações irão ocorrer, pode aparecer outro delito, dependendo muito do resultado das investigações.

Existe algum boletim de ocorrência envolvendo este casal aqui na Delegacia de Defesa da Mulher?

Contra o autor dos fatos não existe passagem na polícia e com relação a ela, também não existe boletim de ocorrência registrado sobre alguma ameaça ou agressão. Não foi comunicado nenhum crime ou ocorrência anterior que pudesse presumir a ocorrência deste feminicídio.

Gostaríamos que o Delegado deixasse uma mensagem a todas as mulheres de que a DDM está à disposição para receber suas denúncias.

Agora, depois que ocorreu este fato, chega até a polícia informações de que a vítima já sofria violência, já sofria ameaças, o que de fato pode ter acontecido. Só que, como ela não veio até a Delegacia, não pediu a proteção do Estado através de medidas protetivas ou outras medidas, o Estado não pode agir, até que culminou neste feminicídio. Lembramos que a DDM está à disposição das mulheres de Guaíra para o que precisarem.

—————————-

RELEMBRE

Judoca Adriele foi destaque em reportagens da EPTV

As duas reportagens da emissora de televisão sobre o projeto Branco Zanol deram destaque para a atleta guairense

 

 

 

 

 

 

Adriele Freitas de Sena, é filha de Douglas de Sena e Ana Cláudia Freitas. É irmã do também judoca Douglas Sena e mãe da pequena Ana Júlia, de apenas 4 anos. Foi revelada no projeto olímpico Branco Zanol quando o centro de treinamento ainda era localizado na sede do Kai-Kan, na rua 16 esquina da avenida 17. Sempre orientada pelo professor Stefanio Stafuzza, chegou a integrar o projeto Futuro, em São Paulo, dedicado para revelar talentos na área esportiva.

Por duas vezes, a EPTV Ribeirão Preto esteve em Guaíra para reportagens no projeto olímpico e Adriele foi destaque, como uma das principais revelações dos últimos anos da cidade. Agora, os vídeos ficam para boas lembranças.

—————————

Última conquista da atleta foi medalha de prata nos Jogos Regionais

Nesta competição, o judô guairense, mais uma vez, se destacou com 11 medalhas, sendo 7 de ouro, 3 de prata e 1 de bronze

Adriele, em foto circulada, com a medalha de prata conquistada nos Jogos Regionais, representando Guaíra em 2018

 

 

 

 

 

 

 

A última conquista da judoca guairense Adriele Sena ocorreu nos Jogos Regionais realizados na cidade de Matão, no mês de julho. Integrando a equipe de atletas comandados pelo professor Stefanio Staffuza, ela conquistou a medalha de prata na categoria até 57 quilos.

Nesta competição, o judô guairense, mais uma vez, se destacou conseguindo 11 medalhas, sendo 7 de ouro, 3 de prata e 1 de bronze, ficando à frente de Araraquara (vice-campeã), Ribeirão Preto (3º Lugar), Franca (4º colocada) e São Joaquim da Barra (5º Lugar).

“Esse ano, havia 20 cidades disputando o título na categoria masculino e 14 no feminino. Foi sem dúvida um dos títulos mais difíceis de todos os conquistados, competimos com equipes praticamente inteiras contratadas e nossos judocas mostraram que a união e entrega dessa equipe é muito grande e conseguimos mais uma vez trazer o título para Guaíra”, ressaltou Stefanio em sua última postagem sobre a competição que contou com Adriele na equipe.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Policial
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos