Sex - 21/09
30º 18º 15:01
Guaíra - SP

Verdejando apresenta proposta elegante e simples contra os alagamentos da cidade

O chamado “Jardim de Chuva” impede grande concentração de água de chuva e que ela desça com muita força, o que é o caso das Avenidas 7 e 9, por exemplo

Cidade
Guaíra, 3 de Fevereiro de 2018 - 07h56

Enxurradas e alagamentos como os que têm acontecido em Guaíra, causados pelas chuvas, são problemas graves e crônicos de diversas cidades brasileiras, prejudicando o cotidiano da população. Mas, de acordo com o grupo Verdejando, um dos responsáveis por deixar o município guairense mais verde e bonito, existem soluções que podem ser encontradas na própria natureza para tentar evitar situações como essas.

Os participantes estão buscando propostas que possam amenizar a situação das Avenidas 7 e 9 do centro da cidade e também de vias públicas em outros bairros. Uma delas, que inclusive foi muito elogiada pelo COMDEMA (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente do município de Guaíra), é a implantação dos “jardins de chuva”.

“A restauração e conservação de algumas áreas naturais, por exemplo, favorecem a infiltração da água de chuva, beneficiando todo o ciclo hidrológico e contribuindo para a recarga dos aquíferos mais profundos”, afirma Sandra Omoto, uma dos responsáveis pelo Verdejando. “Já que estão com projetos paisagísticos, gostaria que analisassem essa sugestão não apenas para o centro da cidade, mas ao longo de todas as avenidas onde ocorrem essas enxurradas”, continua, explicando como são criados os jardins.

“O jardim de chuva talvez seja a mais simples solução de infraestrutura verde. Consiste num canteiro com plantas, formado com o rebaixamento do solo, que coletará as águas pluviais através de aberturas delimitadas em seu contorno”, apresenta.

A ideia surgiu após as intensas discussões pelas redes sociais e imprensa neste início de ano, com o problema da Avenida 9 que persiste gestão após gestão, sem atitudes da administração municipal. Como o projeto é barato e eficiente, o Verdejando resolveu buscar apoio do CONDEMA, que abraçou a causa e pretende juntar-se ao grupo para conseguir respostas da prefeitura.

“É extremamente interessante e barato, o que para Guaíra daria muito certo. A gente precisa da boa vontade dos nossos vereadores para aprovarem junto com o prefeito e o vice esse projeto”, destaca o presidente do conselho, Devair Queiroz. “Esses jardim vem para a ajudar e o CONDEMA apoia totalmente essa ideia. Levaremos isso até o conhecimento da prefeitura, pedindo o apoio do governo”, acrescenta.

JARDIM DE CHUVA

O jardim de chuva, como o próprio nome sugere, é um grupo de plantação de arranjos que fazem uso de água da chuva. O jardim de chuva é geralmente pequeno e pode ser incorporado em praticamente qualquer projeto ao ar livre.

“Ele impede grande concentração de água de chuva e que ela desça com muita força, que é o que acontece em Guaíra, ali na Avenida 9, por exemplo. Na realidade, esses jardins são feitos assim: pega-se um pedaço da calçada, claro que a legislação exige uma calçada de no mínimo 1,20 metro, mas em Guaíra daria certo, porque aqui temos mais de 2 metros; e seriam feitos alguns pedaços ao longo de todo o processo da avenida 9, por exemplo. Seria desde a região da antiga Campofert e em alguns trechos de descida, com o plantio de vários tipos de vegetação, porque quando tem água da chuva, ela percola. E deve ser feito com cuidado, porque seria feito um filtro, com etapas de areia e pedra, e essa água seria filtrada e devolvida em pouca quantidade, evitando inundações”, exemplifica Devair.

De acordo com as entidades, o jardim de chuva é um projeto barato, sem altos custos para os cofres públicos. “Muitas cidades já aderiram, melhora, e muito, o problema com as inundações.”

Os jardins funcionam como a absorção natural da água da chuva em uma floresta, muitas vezes absorvendo 30% a 40% a mais do que um gramado típico. Eles suportam a umidade e concentração de nutrientes, como nitrogênio e fósforo presentes no escoamento de águas pluviais. Estes arranjos de plantio também contribuem para facilitar a infiltração de água limpa, portanto, conservando a recarga das águas subterrâneas. E, para pássaros e borboletas, funcionam como um habitat ideal, uma vez que reduz os mosquitos e pragas.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos