Ter - 24/04
29º 17º 21:38
Guaíra - SP

Vigilância recomenda vacina para quem não se imunizou contra a febre amarela

O departamento afirma que, caso alguém se depare com macacos mortos no município, que entre em contato com a Guarda Civil Municipal ou secretaria de saúde

Cidade
Guaíra, 24 de Janeiro de 2018 - 08h29

Os resultados da autópsia do macaco encontrado morto no Zoológico Municipal na última semana ainda não chegaram, mas a Vigilância em Saúde está tranquilizando a população e também orientando para quem ainda não se imunizou para que procure as Unidades de Saúde para a vacinação contra a febre amarela.

“A medida mais eficiente para evitar o contágio humano pela febre amarela é a vacina. As USF do município possuem quantidades suficientes de doses. Os cidadãos que ainda não se imunizaram devem procurar a unidade de saúde de sua referência, portando a carteirinha, para que os técnicos verifiquem se há a necessidade da aplicação”, afirma o chefe de Vigilância em Saúde, Maurício Alves.

O surto da doença, que vem afetando a região de Mairiporã, cidade próxima à grande São Paulo, ascendeu a luz de alerta em todo Estado de São Paulo. No entanto, é importante lembrar que o monitoramento da arboviroses (doenças transmitidas por mosquitos) é regularmente executado pelas esferas, municipal, estadual e federal de governo.

De acordo com Maurício, no caso específico da febre amarela, o principal indício de que o vírus está circulando na região é a infecção e morte de macacos. “Os primatas são animais muito suscetíveis à doença em zonas de mata. Por isso que toda morte de símio silvestre tem que ser investigada. Os animais são considerados ‘anjos da guarda’ na vigilância da epidemiologia e podem indicar a presença da patologia em um ambiente antes que humanos sejam contaminados”, afirma.

Neste cenário, o departamento orienta a toda comunidade que, quando eventualmente, se deparar com macacos mortos, entrar em contado com a Secretaria de Saúde. O contato pode ser feito diretamente 3330-2800 (Secretaria de Saúde) ou pelo 199 da Guarda Municipal. “A vigilância faz o recolhimento da carcaça, coleta material das vísceras e encaminha para o Instituto Adolfo Lutz (São Paulo), que faz as análises pertinentes para identificar se o animal foi infectado pelo vírus”, explica Alves.

Na virada de 2016 para 2017, em Guaíra, foram encontrados dois macacos mortos no perímetro urbano, um filhote de bugio nas imediações do bairro Reynaldo Stein e um sagui, próximo ao recinto do Torneio Leiteiro, no entanto, os exames laboratoriais descartaram a infecção em ambos.

AEDES AEGYPTI

A Vigilância ainda lembra que, na cidade, o Aedes aegypti, o mesmo mosquito que transmite a dengue, zika e chikungunya é o vetor da febre amarela. “Então, outra medida importante para evitar a proliferação da febre amarela é eliminar os criadouros. As mesmas recomendações da prevenção à dengue são válidas para a febre amarela”, complementa o chefe do setor.

SINTOMAS

 

A febre amarela é uma doença viral que causa dores no corpo, mal-estar, náuseas, vômitos e, principalmente, febre. Se for acometido pelos sintomas, o paciente deve procurar uma unidade de saúde o mais rápido possível.

 

 



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos